Lena Adams-Foster e a Série Que Me Mostrou Que Sou Digna de Amor


Em 2013 surgiu a notícia que Jeniffer Lopez, sim a cantora, estava produzindo uma série. Um drama familiar para a então chamada ABC Family, hoje em dia o canal se chama FreeForm. A série era The Fosters, que acompanha a vida da família Adams-Fosters. Formado pelo casal lésbico inter-racial Lena e Stef e os filhos Brandon, filho biológico d Stef do primeiro casamento, os gêmeos latinos Mariana e Jesus que foram adotados e no piloto conhecemos Callie e Jude que serão postos como foster kids na casa da família.



Quando eu assisti ao piloto da série eu não fazia ideia de onde estava entrando. 5 anos, 103 episódios e muitas lagrimas depois essa série chega ao fim e tem um local mais do que especial na minha vida.

Eu me assumi bissexual em 2011, uma série que me ajudou muito a me aceitar e me entender foi Pretty Little Liars, do mesmo canal. Em 2013 não haviam tantos personagens LGBT da mídia, haviam menos ainda casais saudáveis de pessoas do mesmo gênero e que trouxessem alguém negro. The Fosters me deu isso.

Eu cresci vendo séries, famílias que me inspiravam e emocionavam. Os Walsh em Barrados No Baile, os Cohen em The OC, Tio Phil e Viv em Um Maluco no Pedaço, Michael e Janet de Eu, A Patroa e as Crianças. Eram casais estáveis, saudáveis e excelente exemplos, mas todos eram casais heteros, com um homem e uma mulher cis. Apesar de ser bissexual eu nunca fui capaz de me ver casando com um homem e esses casais incríveis acabam sendo exemplos que eu não consigo ver como uma realidade para mim.



TheFosters foi a primeira vez que eu vi na mídia uma relação saudável entre duasmulheres que são casadas, que construíram uma família, que tem suas profissões e filhos e necessidades como mulher e que passam por dificuldade, mas que o diálogo e o respeito fazem com que elas continuem juntas. Isso é o que eu quero para minha vida e até a série existir eu não sabia que eu podia querer isso, que essa realidade podia me pertencer também.

Ser uma pessoa não hetero numa sociedade heteronormativa é questionar se sua existência é válida, questionar se você tem direito a desejar um amor saudável, desejar um casamento, desejar ter filhos por que tudo na sociedade está dizendo que não, que esse não é o seu lugar. E a função da representação em séries, filmes e livros é justamente mostrar que sim, esses lugares também são nossos, que podemos desejar essas vidas.

Eu vou ser eternamente grata a toda equipe responsável pela criação e produção de The Fosters. Também irei carregar Lena como o exemplo de mulher, de mãe, de esposa e pessoa que eu quero ser.
A todos que já assistiram a essa série, vocês sabem do que estou falando e foi uma incrível jornada ao longo desses 5 anos. Aos que nunca viram, as 4 primeiras temporadas estão disponível na Netflix e venham se juntar a nossa família que sempre há espaço para mais um.

Nenhum comentário

Antes de comentar, leia nossa política de comentários!

Tecnologia do Blogger.