Top 5 Mulheres Inspiradoras da TV #BlackList

Como alguém que cresceu assistindo séries de TV por toda minha vida é preciso reconhecer o progresso que foi feito com a representação feminina, ainda que estejamos longe da perfeição, avançamos muito desde a década de 90 quando comecei a ver séries e basicamente só se via mulheres brancas heteros em papeis relevantes.


Por Camila Cerdeira

Hoje em dia temos programas como Scandal e How To Get Away With Murder cuja protagonistas são mulheres negras ou Jane The Virgin que mostra uma família latina formada por três gerações de mulheres. Escolhemos 5 personagens femininas inspiradoras que estão no ar atualmente, também foi feito um texto falando de 5 Inspirações para Jovens Mulheres E Adolescentes que você pode ler aqui.

Essa postagem faz parte da Ação Nerd Feminista onde portais nerds feministas se juntaram para uma ação coletiva para discutir temas pertinentes a data do Dia Internacional da Mulher e à cultura pop, trazendo análises, resenhas, entrevistas e críticas que tragam novas e instigantes reflexões e visões. São eles: Nebulla, Delirium Nerd, Momentum Saga, Nó de Oito, Preta, Nerd &Burning Hell, Prosa Livre, Valkirias, Psicologia&CulturaPop, Kaol Porfírio, Séries por Elas
#WeCanNerdIt #FeminismoNerd #8deMarço #DiaInternacionaldaMulher

Iris West – The Flash
Iris West talvez não seja a personagem mais unanime na preferência do público, mas gostando ou não ela é uma das personagens fundamentais da série The Flash. Ela mostra que Interesse Amoroso é muito mais do que o prêmio do protagonista, uma personagem com suas próprias motivações, que atualmente se encontra na liderança do Team Flash. Além de ser interpretado por uma atriz negra, o que abriu espaço para tantas outras atrizes e que foi tema de um texto que pode ser lido aqui.

E em um episódio que está para sair será dado a oportunidade de Iris assumira posição de velocista e de fato ser a heroína que salva o dia.

Rosa Diaz – Brooklyn 99

Brooklyn 99 é uma grata surpresa, uma comédia centrada numa delegacia de Nova York que possui bastante diversidade no seu elenco, tendo 3 personagens femininas, das quais duas são latinas, dois negros, um deles sendo gay e na posição de liderança e abordando questões relevantes. Rosa Diaz é um grande passo para representação de personagens bissexuais na mídia, a representação LGBT tem progredido bastante ao longo dos anos, no entanto quando se trata especificamente de personagens bissexuais essa representação tem tido problemas, comumente não se é usado a palavra Bi o que dificulta o reconhecimento de tais personagens como tal, muitas vezes pensando que são personagens que se descobriram gays ao longo dos episódios ou que são personagens heteros que tiveram uma fase.

E por Stephanie Beatriz, atriz que dá vida a personagem, ser abertamente bissexual houve um cuidado no desenvolvimento da personagem e quando a personagem assume que tem uma namorada foi feito questão que a palavra com B fosse dito.

Anissa – Black Lightning
Anissa é a primeira super heroína negra e lésbica da TV. Existem poucos super heróis LGBT nos quadrinhos e existem menos ainda nas adaptações audiovisuais. A primeira heroína LGBT a aparecer na televisão foi Sara Lance na segunda temporada de Arrow, uma mulher branca e bissexual.

Quatros depois temos Black Lightning com Anissa a primeira super heroína não branca e não hetero. Ainda que na série Gothan a personagem Tabitha seja tecnicamente bissexual a personagem vem envolta não só em má representação, como não há uma real conversação sobre sua sexualidade. Então Anissa é a primeira mulher negra não hetero apresentada sobre uma ótica saudável na televisão.

Stef Adams-Foster – The Fosters
The Fosters é uma série necessária, mostrando a vida de uma família formada por duas mães em um relacionamento inter-racial cujos filhos são tanto biológicos quanto adotados. Stef além de mãe é uma policial, uma esposa e através dela se aborda não apenas questões conjugais como conciliar a família, o trabalho e a vida como esposa, mas também recentemente está sendo abordado a questão de ansiedade em decorrência do difícil processo de se assumir lésbica na fase adulta. Além da personagem ter passado por um arco de câncer de mama e ter lidado com a questão de fazer ou não uma mastectomia preventiva e como a retirada dos seios afeta sua feminilidade.

Penelope Alvarez – One Day At A Time

Para produzir esse texto eu pedi ajuda no Facebook para saber que mulheres nas séries inspiravam outras mulheres. Não queria produzir um texto baseado exclusivamente na minha vivencia pessoal e queria retratar o máximo de mulheres possíveis e foi unânime, todos os comentários citavam as mulheres de One Day At A Time, em especial Penelope ou Lupita como a personagem é carinhosamente chamada. Penelope é uma mulher recém divorciada, veterana de guerra que lida com PTSD e depressão, cria dos filhos adolescentes com a ajuda de sua mãe, Lydia, uma imigrante cubana que veio fugida depois da tomada de poder por Fidel Castro.

One Day At Time, que tem como Showrunner a cubana Gloria Calderon, mostra não apenas a mulher forte que supera batalhas diárias e que faz o melhor para sua família, mas também mostra a importância de pedir ajuda e reconhecer que temos nossa fragilidade, baixar nossa guarda e receber o apoio necessário daqueles que amamos e nos amam de volta. Essa é uma série sensível, tocando e com uma bela mensagem sobre o que é o verdadeiro empoderamento feminino.

E aí, você tem uma lista de mulheres inspiradoras da TV? Deixe nos comentários!

Nenhum comentário

Antes de comentar, leia nossa política de comentários!

Tecnologia do Blogger.