Sobre a liberação animal (Aph Ko)

Sobre a liberação animal [*]


Por Aph Ko [**]
Tradução: Anne Caroline Quiangala


Como afro-estadunidenses ativistas pelos direitos dos animais e vivendo num patriarcado supremacista branco, muitas de nós chegamos à conclusão de que a nossa experiência de opressão racial está profundamente conectada às experiências de opressão animal num nível elementar.

Entrelaçamento das opressões


Muitas de nós ficamos incomodadas em sermos comparadas a animais. Isto não surpreende, dado o fato de que fomos legalmente definidas de forma coisificada por 250 anos, e continuamos sentindo as consequências da escravidão até hoje.

Apesar disso, afro-estadunidenses antirracistas ativistas pelos direitos dos animais também entendem que a população negra e os animais são oprimidos devido ao sistema patriarcal, supremacista branco que rege este país. Nós argumentamos que a opressão opressão que sofremos é uma camada da opressão contra os animais, especificamente desde que "animal" tem sido um conceito que se refire a qualquer ser desviante do sistema do humano idealizado, que é o homem branco.

Desde a escravidão até hoje, a violência racial branca contra os negros acontece, em grande parte, porque o Estado continua a submeter o povo negro a um tipo de cidadania em condições sub-humanas ou animalizadas. Enquanto a opressão racial e a opressão animal são pensadas como formas distintas e desconectadas de opressão, nós entendemos que não há problemas em comparar e contrastar  o modo como estes dois grupos são tratados, mas percebendo que o que nós temos em comum é a fonte de opressão.


Tokenismo  e exploração


No mesmo sentido, muitos de nós estamos acostumadas a ver organizações pelos direitos dos animais usarem a imagética da opressão racial para angariar simpatia para a opressão animal. Exemplo disto é a descrição de imagens justapostas de animais e de pessoas (negras) linchadas, que se atém às semelhanças. Isto se torna problemático, especificamente, uma vez que esta mesma organização não apoia afrodescendentes em nossos desafios na luta pela cidadania humana hoje em dia. O reconhecimento de que a opressão contra negros é "histórica" sustenta o mito pós-racial de que hoje em dia somos todos iguais, particularmente quando negros experienciam violência policial, encarceramento em massa e racismo estrutural, em parte porque nós continuamos sendo vistas como tão sub-humanas quanto os animais.

Dando um passo a frente


Então, aonde vamos tendo em vista que a opressão racial e animal estão profundamente conectadas? Nós continuamos a manter a nosso posicionamento anti-especista. Especismo ocorre quando humanos são vistos como a espécie superior, é lideram a exploração dos animais. Em resposta ao especismo, nós escolhemos um estilo de vida vegano, pensando sobre os alimento que comemos, as roupas que vestimos, os cosméticos que usamos e, assim, o nosso trabalho termina em fazendas industriais, circos, zoológicos; além disso, nós usamos qualquer recursos que tivermos para fazer a diferença.

Em suma: expusemos a nossa compreensão da interconexão entre opressão racial e animal quando estamos organizadas em espaços de ativismo pelos direitos dos animais predominantemente brancos. Temos certeza de que estas questões são endereçadas como parte integral quanto trabalhando juntas. Caso não, nós apenas terminaremos reproduzindo a lógica patriarcal supremacista branca, ao invés de criar uma libertação real.



[*] Publicado originalmente em inglês no ebook gratuito African American Vegan Starter Guide p.19.
[**]Aph Ko é uma escritora premiada, performer e produtora de conteúdo digital Indie e fundadora do Black Vegans Rock e Aphro-ism.

Nenhum comentário

Antes de comentar, leia nossa política de comentários!

Tecnologia do Blogger.