(GUEST) Get Out, O Que Assusta Os Jovens Negros


No mês passado, vi o trailer de um filme de terror que me deixou com muitas expectativas. E não, não é sobre exorcismos, bonecas ou palhaços.

Get Out (que estreia em 2017) nos apresenta Chris, um jovem que está nervoso para conhecer os pais de sua namorada. Até aí, já existem vários outros filmes com temática parecida. Mas isto não é uma comédia. E o jovem? É negro.

Chris (Daniel Kaluuya, de Sicário e Skins) fica ainda mais nervoso ao saber que Rose (Allison Williams, de Girls) não contou nada aos pais sobre o namorado dela ser negro. No meio do caminho eles sofrem um pequeno acidente, e o policial que vem para a ocorrência discrimina Chris abertamente.



Quando finalmente chegam na casa dos sogros, ele nota que os poucos negros na vizinhança agem de maneira estranha. Quase como se tivessem sofrido uma espécie de lavagem cerebral.
Os pais de Rose o tratam com certa hostilidade, e Chris começa a suspeitar deles. Logo recebe a ligação de um amigo policial, contando sobre o desaparecimento de vários homens negros naquela localidade. Vulnerável, em meio a uma vizinhança praticamente toda branca, é quase como se ele soubesse que está num filme de terror, e não do lado que sempre sobrevive.

O filme chama a atenção por vários aspectos. Claro, o principal é sobre ver um protagonista negro em um filme de terror. Até os irmãos Wayans já fizeram piada sobre os negros serem os primeiros a morrer em filmes do gênero, em "Todo Mundo em Pânico 2".

Geralmente, o personagem é um *token, e segue esteriótipos como o de atleta arrogante que morre na metade do filme ( Premonição 3 e Casa de Cera), e o "amigo leal" que se sacrifica pra salvar alguém (Alma perdida e A noite dos mortos vivos). Tem outros exemplos mais detalhados aqui.



Get Out tem tudo para ser o início de maiores oportunidades a cineastas negros dentro do gênero. O diretor é o Jordan Peele, ator e vencedor do Emmy . E ainda há todo o contexto em que o filme está inserido, realizado em meio a mais uma onda de agressão policial a homens negros nos EUA (e não só lá, disso você pode ter certeza).

Uma verdade é jogada na cara do público, mesmo pra aqueles que acham que é "mimimi" ou vitimismo : se o branco precisa que alguém se fantasie de palhaço pra se assustar, o maior risco para um jovem negro continua sendo um branco. Seja ele um policial abusivo, um segurança que o persegue dentro de alguma loja, o pai preconceituoso de uma namorada. Não é preciso imaginar o terror de um monstro do além ou debaixo da terra, quando você se arrisca só por sair a noite, podendo ser "confundido" com algum criminoso.

Geralmente não vou aos cinemas ver filmes de terror. São poucas as vezes em que aparece algo interessante e que valha o ingresso. Mas Get Out, provavelmente vai ser o primeiro filme que vai me assustar no ano que vem.

* Qualquer personagem fictício de descendência afro-americana que tenha sido inserido inconsequentemente no enredo de um filme ou programa de TV, com o propósito expresso de criar uma imagem segura e insípida de harmonia racial.



* Larissa Ribeiro. "Tenho 20 anos,comecei a estudar Pedagogia mais pelo acaso e acabei me encontrando no meio.E mesmo planejando fazer Jornalismo também,acredito que posso mudar o mundo. Escrevo,desenho,sou viciada em livros desde os cinco anos,sou fã de ficção científica,terror,Godfather e Stephen King.E tenho quase certeza que a Daenerys não é a única Targaryen restante"

2 comentários:

  1. Eita, to ansiosa pra ver o filme, ver se consigo ir essa semana ou na próxima! abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale muito a pena assistir, mas recomendo que seja mais de uma vez, ele é bem complexo! Abraço ;*

      Excluir

Antes de comentar, leia nossa política de comentários!

Tecnologia do Blogger.