segunda-feira, 12 de setembro de 2016

(GUEST) Por que o marketing de Narcos foi melhor que a temporada?


Por Larissa Ribeiro

*SPOILER*

Tudo foi muito bem pensado. Panfletos em aeroportos, uma matéria antiga do Aqui e Agora chegou a passar na TV, jornais mostraram (ou criaram) manchetes de 1993 com o Escobar sendo procurado... mesmo quem não viu a primeira temporada teve vontade de ver a segunda. Pena que não senti o mesmo nos episódios.


O starter pack de Javier Peña nas bandejas de aeroporto

A temporada começa mostrando que se antes Pablo parecia intocável, agora não é bem isso. Com alguns dos antigos aliados formando o Los Pepes e jurando matar qualquer um minimamente envolvido com Escobar, ele se vê forçado a se esconder com a família. Nenhuma casa é segura,e fugir no meio da noite se torna comum. É literalmente um "Todo mundo odeia o Pablo".

Na primeira temporada de Narcos, duas coisas me causaram bastante incômodo: o Pablo estar um passo a frente mesmo quando não havia sentido e a maneira de retratá-lo como um gênio perfeito, trabalhando sozinho, sendo mal por ser mal.

Agora (não chega a ser uma inversão de papéis) pelo menos vemos mais da sua família do que só ele jogando bola com o filho mais velho. Já o agente Murphy está no limite. A esposa fugiu com a filha, e ele sabe que ninguém ali realmente quer ajudá-lo a desmantelar o cartel de Medellín. Agride um executivo que estava usando cocaína no banheiro, e é afastado por isso. E o agente Peña começa a passar informações para os Pepes, sem se dar conta que mesmo estando contra Pablo, eles não estão do lado do povo, muito menos da justiça.


O presentinho de Natal dos Pepes a uma comunidade


Sem ter a quem apelar, já que as autoridades americanas e o presidente Gaviria se recusam a dialogar, Pablo tenta mandar a família para a Alemanha (em minha opinião, uma das melhores sequências da temporada). Como não consegue (graças a algumas manobras do agente Murphy), só resta escondê-los na Colômbia. E não manter contato, já que os telefones podem ser grampeados. É literalmente um "Todo mundo odeia o Pablo".

Na verdade, o que se torna o grande problema da temporada é ela ter ficado muito, MUITO arrastada. Que o Pablo morre todo mundo sabe, então muitas cenas desnecessárias são jogadas até que finalmente aconteça. Depois de todo o marketing de série policial, de ação, o negócio vai pra um lado bem novelão dramático. E como não podia deixar de ser, vem aí uma terceira temporada.


"Ele morre logo nos primeiros episódios?"

Agora sabemos porque a série não se chama Pablo, Escobar ou algo do gênero... se preparem,um novo narco vem aí.



Nenhum comentário:

Postar um comentário