Marvel’s Runaways – 1x04 – Fifteen

A hype com os primeiros episódios de Runaways foi tão quando que eu, Camila Cerdeira, achei que seria uma boa ideia nos encontrarmos semanalmente para discutir os episódios. De agora em diante fica marcado que todas as segundas eu trago uma resenha nova do último episódio exibido.

Por Camila Cerdeira

Os três primeiros episódios funcionam como um piloto divido em três partes. Isso me agradou muito, mesmo que nos dois últimos episódios o ritmo tenha sido mais lento, eu entendi. Estavam apresentando muitos pontos importantes daquele universo e não dava para correr e enfiar ação just because. Mas estamos no quarto episódio e essa história tem que andar para algum lugar.

No entanto eu assisto, assisto e não vejo exatamente para onde estamos caminhando. Os Runaways a passos lentíssimos estão se reconectando, mas seus poderes não se desenvolvem nada. Ninguém acredita que a Molly tenha a força do Hulk em algumas ocasiões, ela estava prestes a lutar contra um dinossauro com as mãos vazias, uma hora alguém vai ter que levar ela a sério.

Eu pego mais e mais abuso pelo enredo do estupro que envolve a Karoline e o Chase. Primeiro por que apesar da Karoline ser a vítima, o enredo é sobre tudo menos ela. E em quatro episódios nunca falaram a palavra estupro, nem quando o Chase fica ultrajado pelos caras que tentaram estuprar a moça estavam exigindo um pedido de desculpa. Em vez de apontar o dedo e falar a verdade sobre o que aconteceu na festa o bonitão cai fora do time e vai correndo atrás da Karoline dizer que ela é mais importante que lacross.  Custava uma cena com os dois caras, o treinador e o Chase falando que os caras tentaram estuprar a menina, inclusive quando ele os abordou eles nem pararam ou fingiram que iam fazer outra coisa, só mandaram fechar a porta como a maior naturalidade.



Fazer um plot de quase estupro para aproximar dois personagens é mais que problemático, é um desserviço gigante em meio um período com tantos assediadores e estupradores sendo denunciados ter medo de usar a palavra real. Além disso é um trabalho porco de escrita, um homem e uma mulher precisam criar laços de amizade, como fazer isso? Coloque ele para salva-la de um estupro e pronto amizade instantânea.

Pelo menos recalibraram o feminismo da Gert e ela parou de implicar com a Karoline por causa de macho. E ela também descobriu que pode controlar nossa dinossaura favorita, que foi criada para a proteção da família. Essa trama toda da família Yorkes-Hernandez tem sido o que mais caminha. Primeiro a gente percebe que o casal Yorkes não se dão muito bem com o resto da PRIDE, tendo até um plano de fuga, que na verdade foi planejado pelos Hernandez antes deles morrerem misteriosamente e agora a Tina soltou que sabe do rancho secreto como quem diz, vocês não podem fugir da gente. Como todas as tramas, essa não foi realmente para um lugar, mas é a que mais parece ter um rumo até agora. E a que mais revela sobre o plano geral dessa temporada.




Vou manter minhas esperanças altas ainda por que o rapto, desnecessário, do Alex parece que vai finalmente fazer com que esses adolescentes formem o grupo de super-heróis que eles precisam formar e trazer um pouco de ação, pelo menos foi o que a promo do próximo episódio me prometeu. 

Nenhum comentário

Antes de comentar, leia nossa política de comentários!

Tecnologia do Blogger.