MAREMOTO

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Black-ish – Preto Para Branco Ver


Black-ish é uma série norte-americana que foi lançada há quase 3 anos. Lembro que quando lançou fiquei animada, fazia alguns anos que não tínhamos uma comédia familiar com protagonistas negros na televisão.

Por mil desventuras acabei não acompanhando. De tempos em tempos alguns amigos brancos traziam a série a tona me recomendando e falando como eu iria adorar ver essa representação real da realidade negra. Quando a série entrou no Netflix resolvi dar uma chance e ver. Na época havia acabado de fazer uma maratona de Um Maluco no Pedaço, série do Will Smith e que até hoje é minha comédia favorita.

Um gosto de decepção veio quando terminei a primeira temporada. Apesar da série ter um elenco inteiramente negro e ter um criador negro o que vi foi uma série feita para branco assistir.
Não estou dizendo que Black-ish que não existe realidade no que ali foi retratado. Muito pelo contrario, em muitos momentos vi a realidade onde cresci e identifiquei meu pai naquele protagonista. Entretanto não foi uma identificação elogiosa.

Dre, o protagonista, é um negro conservador que não percebe o quanto do racismo institucionalizado ele absorveu. Ele acredita que negros vem envoltos em um pacote de características e que qualquer um que não reproduza essas características está negando sua negritude. Ele acha que sua esposa que é mix raced, filha de mãe negra e pai branco, não é completamente negra. Que seu filho nerd não está agindo como um verdadeiro negro por causa de seus gostos.



Constantemente temos narrações onde Dre explica como é ser negro, qual a visão do negro sobre assunto X. E essas constantes explicações deixam claro pra quem a série é escrita, eu como negra não preciso de ninguém me explicado como uma pessoa negra se sente tendo um presidente negro, eu já sei. Isso não vai trazer pra mim nenhum senso de humor. Seria engraçado em uma série alguém explicando como é se sentir molhado ao entrar numa piscina?

Um dos grandes méritos de Um Maluco No Pedaço era justamente a diversidade que é ser negro. Carlton não era menos negro que o Will ou que o Tio Phil e os três tinham visões de mundo e vivencias diferentes. E ainda assim todos experienciavam racismo e diferente de Black-ish, não era precisa alguém falando hey isso aqui é racismo.

Além disso, Black-ish usa questões racistas como alivio cômico. Desculpa, mas não existe nada de engraçado em racismo. Não existe nada de engraçado quando Dre exagera estereótipos negros para provar a um chefe branco que ele é um verdadeiro homem negro.

Nem toda representatividade é uma boa representatividade. Não necessariamente por que um negro, no caso o criador da série, passou por algo que isso é universal. Infelizmente, a primeira temporada de Black-ish falha miseravelmente exatamente por ficar a impressão de que ser negro de classe media é somente o que foi exibido, quando a nossa realidade é bem mais plural que aquilo. Além de que a série ainda se prende a estereótipos machistas e LGBTfobicos.


Em um período aonde o debate racial e necessidade de mais representação negra de forma consciente vem sendo feita a série parece um passo para traz. Uma pena, pois existe um elenco bom de atores negros ali que está sendo desperdiçado por um roteiro preso ao lugar comum.

Nenhum comentário:

Postar um comentário